segunda-feira, 18 de março de 2013

Arroz e feijão: pra uns tudo, pra outros...

Enquanto almoço na casa de minha avó nessa tarde, ouço a televisão sintonizada na queridíssima globo. O programa? Aquele da Fátima Bernardes.


Nicette Bruno, esposa de Paulo Goulart, era uma das convidadas. O tema? Longevidade do casamento. Falavam de desejos de gravidez. 
Nicette tinha o dela.Fátima comentou o seu.
Enquanto eu juntava um punhado de arroz com feijão no prato, tive que escutar que o desejo de Fátima Bernardes foi "arroz e feijão". 
Pequeno tapa na cara da sociedade brasileira?

-Ah, não exagera!


Claro, sou eu que exagero. 

 
Boa semana, queridos leitores comedores de arroz e feijão.

 

12 comentários:

  1. Olá!
    Sem palavras...
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi como fiquei...
      Infelizmente são esses os diálogos "midiáticos" que nos rodeiam.
      Beijos

      Excluir
  2. Esse programa é um verdadeiro desencontro. De horário, de temas, de não identificação da Fátima com o perfil do programa. Enfim... um tudo a desejar! Melhor deslizar e comer o arroz com feijão sossegado! Abraço para vc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Rovênia! Das vezes que a TV estava ligada no almoço, sintonizada neste programa, percebi um programa cheio de falhas. A começar que ele define o horário de almoço de quem o assiste. Depois passamos pela bagunça que vira quando todos resolvem colocar seus comentários. E uma coisa gritante: o convidado começa a falar e se seu diálogo se torna um pouco extenso, a Fátima simplesmente corta a pessoa e dá continuidade.
      Feijão com arroz sempre!
      Abraço

      Excluir
  3. Eu gosto de arroz com feijão. Tem um sabor especial quando o feijão é bem feito.
    rsrsr
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! É uma comida maravilhosa. Não pode faltar.
      Beijo

      Excluir
  4. Caro amigo
    Temos que ouvir tanta coisa, ver, presenciar...
    ]Como diz um amigo meu, melhor seria ser surdo para não ter que ouvir certas coisas.
    Eu evito tanto quanto posso, qd não posso faço do encontro, da palavra dita que não combina com o tom ou com a conduta, dos infortúnios dos noticiários com presidenciáveis que esbanjam em visita ao papa,fazem piadas infames e politicagem barata, das aberrações em novelas e filmes, das leis e falta delas, momento sde oração e de gratidão por eu ver td que está errado, prefiro enxergar a ser cega.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei as palavras, Tina. Neste contexto e, pensando melhor ao ler seu comentário, é melhor mesmo enxergarmos. Pois quem terá piedade do mundo se os que puderem olhar com diferencial, resolverem virar as costas para o problema?

      Excluir
  5. A propósito, além do arroz com feijão havia salada?
    E o suco era de maracujá?

    Beijo para sua avó :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Havia sim! O suco não apareceu nesse dia, aconteceu que todos estavam defendendo a ideia de que precisamos parar de ingerir líquidos durante a refeição. Mas no dia seguinte havia Coca. Vai entender! rsrs

      Beijo da vó!

      Excluir
    2. kkkk
      aqui fico pra ter um treco qd alguém pede dois acarajés e coca-light
      :O
      ou 3 cachorros quentes e água mineral
      :/
      ou nada de liquido na janta e dali a meia horinha muito chopp
      :(
      complexidades amigos que Freud só complica
      :)

      Excluir


Obrigado!




Ir para o Topo