quarta-feira, 15 de maio de 2013

Era uma vez...



  
Fonte



Comecei, há quase duas semanas, a assistir uma série cuja sinopse chamou minha atenção. Trabalhando dois mundos diferentes, o dos contos de fadas e o real, Once Upon a Time (Era uma vez) traz a temática “Conto de fadas” de um jeito diferente. Apesar do tema, esta não é uma série voltada para o público infantil, pois contém respingos de violência e também pelo roteiro propriamente dito.  
Tudo começa pelo casamento de Branca de Neve com o Príncipe Encantado. Aquela parte que, nas histórias, é resumida como “Se casaram e viveram felizes para sempre”. Na série, porém, não se trata apenas disso. O final feliz é mais do que claro nas histórias, entretanto o enredo explora acontecimentos entre o “se casaram” e o “viveram felizes para sempre”, além, é claro, do que antecede a história do casal.
A Rainha Má do conto da Branca de neve é a vilã central da história. O enredo circunda também outros contos de fadas como o de Alice, Chapeuzinho Vermelho, Cinderela, Pinóquio e vários outros. E o mais interessante: na trama, os personagens de diferentes contos se conhecem e têm suas histórias, de certa forma, ligadas.
A rainha má, infeliz com o casamento de Branca de Neve e o Príncipe Encantado, decide lançar uma maldição, para que todos os personagens fossem mandados para um mundo diferente, sem lembranças do mundo em que viviam e separados das pessoas que amam. O mundo para o qual são lançados é o mundo real, sem magia e, na trama, passa-se nos tempos atuais. A cidade é chamada Storybrooke e fica nos Estados Unidos.
A única pessoa capaz de salvá-los da maldição é a filha de Branca de Neve que nasce exatamente no dia em que a maldição é lançada. Para que ela se proteja do feitiço, é colocada em uma espécie de armário mágico, construído por Gepeto, que a transportará para o mundo real. Há um porém. A garota só poderá salvá-los da maldição quando completar 28 anos. E mais: Ela precisaria acreditar em toda essa história, de alguma forma, para descobrir que é a única capaz de resgatá-los do maldoso feitiço da Rainha.
Trata-se de um enredo excelente que possibilita aos adultos ingressarem nesse mundo novamente, afinal trata-se de algo ligado a infância. Enquanto você assiste, é possível resgatar as histórias em sua mente e antes mesmo de ver o personagem central daquele conto, já consegue identificar de qual conto se trata pelos elementos em cena.
Os contos não se apresentam fiéis àquele enredo “Disney” dos contos de fadas por necessitarem de adaptações para que as histórias pudessem ser ligadas. Mas o esqueleto do conto é preservado, de forma que a história tenha a mesma base, mas uma construção com detalhes modificados.
Aqui no site do canal é possível ver uma foto dinâmica dos personagens no mundo mágico e no mundo real. Basta passar o mouse pelo personagem. 
Vale [demais] a pena.

6 comentários:

  1. Menino!
    Que sintonia de contos de fadas essa nossa :O
    Está na programação, para ser publicado amanhã, lá no blog, um post que sobre contos de fadas e suas releituras :)
    Nesse caso, dessa sua descoberta e indicação, são continuaturas, vou adicionar no word essa minha nova palavra.

    Vou conferir, achei interessante, sempre desejo saber, imaginar, inventar coisas depois do "fim", de filmes, novelas, contos e histórias reais.

    Saudações e que sejas feliz para sempre :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demais, não? Pode duvidar, mas você foi a primeira pessoa em que pensei quando comecei a assistir a série! Talvez porque seus posts têm esse caráter cultural fortíssimo e eles buscam por essas diferenças e novidades.
      Continuaturas? Faz bem aderir, gostei!

      Espero que goste da história, é realmente muito interessante, inclusive a forma como as histórias ficam dispostas, de forma que sempre tem aquele finalzinho "quero o próximo episódio logo", mais ou menos o que faço com U(e)D rsrs.

      Sejas, também, feliz para sempre!

      Excluir
    2. Adorei ser lembrada :)
      Feliz para sempre então, ao infinito e além (misturar histórias, contos, animações é um outro gosto que tenho)

      Excluir
  2. Não conheço a série, mas existe um livro infantil do Pedro Bandeira que retoma a história dos clássicos contos de fada após o final feliz! Ele mostra a vida das princesas com os filhos e, claro, recheia o enredo com sua criatividade particular! Li com as meninas e nos divertimos! Também fica a dica, um presente para alguma criança que vc conheça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que interessante, Rovênia! Adoraria ter conhecido o livro antes, com certeza já tenho para quem dar essa maravilha de obra do nosso Pedro Bandeira. Seus livros fizeram parte da minha infância escolar, havia muitos deles na caixa para escolhermos e até na biblioteca. Eu adorava! Sou fã. Mas esse eu não conhecia.
      Muito obrigado por compartilhar!
      Abraço

      Excluir
    2. Uma boa dica de presente para crianças e de auto-presente para uma adulta amiga Rovênia...rsrs
      Adorei!

      Excluir


Obrigado!




Ir para o Topo