sábado, 8 de junho de 2013

Fio


Um lado do relacionamento resolveu ceder. Fez aquilo por amor e não por qualquer outro motivo irrisório.
- Pode ir.
O outro lado, por sua vez, adorou o presente. Achou que ficaria tudo bem e não escutou, naquela fala, o quanto gritava aquela parte “Não vá, por favor. Por mim.” E foi.
De um lado, a grande prova de um amor muito pouco reconhecida. Do outro, uma atitude egoísta e pouco pacificadora. O que esperava o bom lado, não recebeu. Esperou que toda a festividade e o presente fossem usufruídos pelo outro lado. É garantido que a situação é pouco fácil de ser engolida. Ainda mais difícil de ser resolvida. O que está por vir é indefinível. Mas por enquanto, definido.
Aquilo que já não nadava em marés boas, agora se torna ainda pior. É um barco furado. É um fio arrebentando.

8 comentários:

  1. E isso acontece tanto na vida, Luís Fellipe! Um lado do relacionamento ama, cede, oferece a liberdade por amor... E o outro, egoísta, parte sem mais palavras. É um fio, de fato. Prestes a romper a qualquer momento, basta a interpretação errada de uma das partes.

    Adorei o conto, você é O Cara em tudo que escreve! rsrsrs Abraço, bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Parece algo vindo lá do fundo do coração de quem escreveu...

    Muito bom!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Por isso que anda tão difícil de 'dar certo'. Os relacionamentos estão durando cada vez menos – uma média de 2 anos. O fato é que ninguém respeita ninguém; o tomar posse do outro impera; tê-lo como propriedade. Não respeitar a individualidade. Amar é querer que o outro cresça e que seja feliz.
    Não vejo outra saída.
    Mandou bem, Fellipe!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Por um fio e firme
    Por fio que iria de qualquer forma se partir
    Por amor
    Deixar livre tudo que amamos
    Amar leve, sem crise, sem fios
    Amar e ser amado
    Estejamos certos ou errados
    Atração e repulsa são forças que nos pertencem
    Que atraiamos o que nos agrega
    Que amor não seja sinônimo de fogos de artifício
    Amor é calmaria, compromisso de todo dia
    Sem nem pensar em dizer adeus

    ResponderExcluir
  5. Oi Luis,

    Situação complicada esse relacionamento, o certo seria aquele que não quisesse mais tomasse uma atitude, ficou fazendo denguinho, até que o outro cedeu sua liberdade e o solicitante não gostou. Principalmente isso acontece com as mulheres: querem que os homens se arrastem por elas. Isso não é amor.É um desrespeito com o ser humano.
    O relacionamento acaba quando acaba o amor. Por que acaba tão facilmente o amor? São os detalhes que os parceiros deixam de fazer quando se casam, aí vem"não gosta mais de mim" e vai procurar outro(a), vindo
    trazer o desrespeito na família. É a imaturidade e a não preparação para o casamento.
    Casamento é coisa séria, não é uma guerrinha de vai e volta como no namoro, temos que ter respeito e responsabilidade numa vida a dois, pois terão que dar exemplos de dignidade aos seus filhos.
    Obrigada pela visita
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  6. Xiii....eu ultimamente me relaciono
    com relacionamentos pouco relacionáveis...

    beijo

    ResponderExcluir
  7. Então tem que acabar... nao tem jeito. Mas as vezes terminar eh mais dificil que começar.

    ResponderExcluir
  8. Tanta leveza, e um desprendimento melancólico nessas palavras.
    Tu és bom, guri.

    ResponderExcluir


Obrigado!




Ir para o Topo