sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Calado Epitáfio de Gerard


Gerard, um bom proletário
Ostentava o baixo cargo
Protegia o proprietário
Arrastava-se por descontinho
Ora bolas, pago a vista!
No escritório, cliente e vinho
Venda fechada, compra mista.

Comemorava se vencia
Mulher, jantar fora?
Reclamava se perdia
Não, mulher, sem jantar a essa hora!
Pisava em pessoa
Dizia que era à toa
E sua palavra preferida
É faturar, minha querida!

Ah, Gerard, amigo
O coração era um perigo!
E a alma condenada
A uma dor desenfreada
De caráter bem constante
Que viria em um instante
 
Diria um ditado
Muito bem falado
Que nada é eterno
Gerard, Gerard, és só um subalterno!
O olho da rua
É mais frio que carne crua

Tanto pisou
Que pela vida foi pisado
Tanto chorou
Mas sempre foi muito avisado

Vão o trabalho que levara
Em construir e proteger
Pois a morte carregara
O sinônimo de perder

O epitáfio sequer discursou
Palavras boas e serenas
Nada dele sobrou
Senão a lembrança pequena
De um homem que escolheu a dor
Sem conhecer o que é o amor...

Luís Fellipe Alves

7 comentários:

  1. Arrasou!

    Sem mais e com resposta lá a sua criação guimarãesziana.

    Bom fds, beijos em vó :)

    ResponderExcluir
  2. Embora triste, o poema ficou lindo! Que o mundo deixasse de ser povoado por pessoas assim! Bom fim de semana! :)

    ResponderExcluir
  3. Bom demais.
    E Gerard, é o nome do meu gato. hahaha
    :P

    ResponderExcluir
  4. Oi Luis
    Ninguém nada em dinheiro, sem carinho, sem paixão, sem amor, sem troca; pois a vida se torna amarga e quando percebe ela já ficou sem deixar saudades à ninguém.
    Temos que viver em plenitude.
    Obrigada pelo carinho da sua visita e pelas felicitações, bolo não tem, estou de regime.kkk
    Obrigada
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  5. Muito bom e pobre homem que não conheceu o amor! Obrigadão pela visita lá! abraço,chica e linda semaan!

    ResponderExcluir
  6. Touro está cada dia melhor,bom poema ótima percepção ,da vida cotidiana bjo sinto tua falta.

    ResponderExcluir
  7. Touro

    Está cada dia melhor,adorei o poema,ótima percepção da vida cotidiana,
    Você tem talento.Sinto tua falta bjo


    Drisa

    ResponderExcluir


Obrigado!




Ir para o Topo