domingo, 15 de setembro de 2013

365

Em um ano
cabem tantas coisas
Emoções emocionadas
Risos tímidos
Risos não tímidos
Vida cansada
Costas leves
Chocolate e Refri

Muita poesia de Drummond

Ou versinhos de Caeiro
Riso e choro 
E também mala e cuia
Corte de cabelo 
Pastel de carne e queijo

Estações do ano 
Uvas rosadas
Tempos sinceros
Elos fortes
Amoras e cerejas
Muito olho e muita boca
Outro sorriso bem gostoso 

Juras e planos
Música e musical
Calculadora
Chaves perdidas
E coração encontrado 

Toalha de piquenique
Pratos novos
Música de amigo
Vozes de parque
Pizza de calabresa
Regime de segunda
Brigas de Facebook

Fotos ruins
Fotos boas 
Sorriso torto
Peito aberto
Sussurro estonteante

Espera
Paciência
Compreensão 
Carinho 
Beijo molhado e seco
Copo de vinho 
Banho quente

Carta sem letras
Bolo de cenoura na praça
E dor de garganta por uma semana
Encontro na escadaria da igreja
Na porta do shopping
Na zona oeste 
Ou na leste
Aqui em casa
Ou na sua casa

Ciúme
E cineminha no tempo vago
Ver Hitchcock de um jeito inusitado 
Batata recheada
Livro de receitas 
Vestibular
Universidade

Tutti-Frutti
Limão
Ar puro 
Choro
Crepe de chocolate com avelã

Livro Carrasco
De Sabino
Perfume
Rosa
Trufa, delícia

Momento único
Suor, pele, olhar
Mãos dadas
Conexões
Magia
Sinceridade

Em um ano cabe muito

Cabe
Sobretudo
Amor. 

E que amor. 

Luís Fellipe Alves

12 comentários:

  1. Oi querido,
    E que ano delicioso, gostei de tudo
    Você é o cara!
    Talentoso jovem...
    Linda noite
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Cabe muito mesmo
    Adorei vários dos itens
    Cabe mesmo muito
    Cabe o pouco
    Cabe o infinito
    Em cada ano, em cada dia
    Cabemos nós e os nossos
    Cabe o mundo

    * Maravilhoso escrito. Posso levar para lá em dezembro?
    Posso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que pode!

      Só postei agora porque são lembranças que tenho de setembro a setembro, mas cabem de janeiro a dezembro ou qualquer outro período!

      Excluir
  3. E cabe o que ficou de fora dos versos porque nunca cabe tudo. Adorei pratos novos. Boa semana, Fellipe!

    ResponderExcluir
  4. Lindo, lindo, lindoooooooooooooooo!!!!!!!!!!!

    Fê, andei afastada da blogosfera, mas que delicia voltar a ler teus textos tão atraentes, maduros...(fala a verdade vai, vc mente a idade... rs)

    "Encontro na escadaria da igreja" me remeteu ao passado... Um dia ainda vou contar essa história no blog rsrs.

    "Lua e Vênus" me emocionou profundamente... É verdade, enquanto ‘evoluímos’ e corremos atrás da pseudo-felicidade, sacrificamos nossas vidas, pessoas, animais, plantas e o próprio meio ambiente. Sacrificamos o planeta que é o nosso único lar.

    De joelhos aqui pra vc! Um mega parabéns por tudo que li aqui!!

    Beijo repleto de saudades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que saudade! A blogosfera não é a mesma sem você. Volta, volta!

      Muito obrigado, fico feliz de tê-la por aqui!

      E minha idade é essa mesmo, até 5 de março do ano que vem rsrs. Aí eu terei chegado nos vinte.

      Beijo!

      Excluir
  5. Tenho que voltar e ler tudinho de novo e ver o que eu coloco ou tiro. Posso fazer isto??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é claro, minha amiga! Eu mesmo colocaria tantos outros versos [mas a memória vai aparecendo aos poucos, depois que postei tudo!]

      Excluir
  6. Tão cotidiano, tão possível de setembro a setembro ou maio, talvez março.
    Acho que deveríamos sempre pensar em pratos novos e torcer por menos dor de garganta!
    beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Luís
    Passando para agradecer o comentário no meu blog que muito me lisonjeia.
    Que tenha um bom dia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  8. Maravilhoso!
    Amei vários itens....lindo
    Beijos....Araan
    http://blogaraan.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Verdade, Fellipe! Num ano cabe uma vida cheia de encantos e e algumas tristezas, e que se repete todos os anos. Mais encantos do que tristezas - de preferência. Mas que se encerre esse ciclo como você encerrou o final! Esplendido. Tudo foi passando como um filme...

    Beijo, amigo!
    Mandou bem... como sempre.

    ResponderExcluir


Obrigado!




Ir para o Topo