sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Considerações iniciais





 Recebi essa imagem ano passado, junto com outras duas (que ainda utilizarei), de uma amiga que fiz aqui. É como se todas as vezes que eu as vejo, estivesse abrindo o 'embrulho' de novo e interpretando de uma forma diferente das demais. Gostei muito. Vale pra mim, pra vocês, pro mundo. Não é um recado só para mobilizar um grupo a sacodir o planeta com cartaz e manifestação. Quem nunca precisou de uma revolução dentro de si mesmo? Quer oportunidade melhor pra começar uma do que o nascimento de um ano novo?
Obrigado pelo presente!

*** 

Dirigia, certa vez, por uma avenida pouco movimentada, já quase meia noite. Hey Brother começou a tocar no rádio. Não me atentei a letra, não conhecia aquela canção, mas aquilo que chamamos de 'vibe' era muito boa. Aumentei o som, continuei em meu caminho enquanto a música tirava de minha cabeça pensamentos, como um mágico tira o interminável pano colorido de dentro da cartola.

Esqueci, não procurei. 

Há pouco, fiz a redescoberta da música, 'por acaso', enquanto ouvia algumas outras pela internet. Não pensei duas vezes em procurar letra e tradução; ao encontrar, fiquei feliz pela música não ser só mais uma do interminável grupo de boas vibes e péssimas letras.

Talvez tenha servido a mim, como aquela roupa - nem sempre barata - que cai muito bem e precisa ser sua. Felizmente, na internet não te cobram pra ouvir um som nem pra descobrir uma letra. Já na loja de roupas...

Trouxe ela pra cá, primeiramente porque pareceu apropriado pelo recente nascimento de 2014 (e porque pode servir a outras pessoas além de mim); e também porque eu sofro de abstinência quando o assunto é meu blog (ou de chocolate também, assumo) e como tenho um caminho de provas - sim, ainda - e outras responsabilidades que precedem minhas tão merecidas férias (férias? alguém me explica o que é isso? Só ouvi por aí que vou ter, mas não sei exatamente o que é.) não estou apto a fazer as postagens comuns de crônicas. (Desculpa mais elaborada pra dizer que além de não ter tempo, não tenho ideias, tsc...) 

Espero que ninguém ache anti-nacionalista eu postar uma música americana (sei lá, ainda temo que um dia surja um patriota das extremas por aqui), mas vamos lá, espero que gostem um pouco, ou mais que um pouco ou um pouco mais que mais um pouco, ou...






 
 Ei, Irmão
Ei irmão, há uma estrada infinita para redescobrir
Ei irmã saiba que água é doce
Mas o sangue é mais espesso
Ah, se o céu vier caindo em você
Não há nada neste mundo que eu não faria


Ei irmão, você ainda acredita um no outro?
Ei irmã, você ainda acredita no amor? Eu me pergunto
Ah, se o céu vier caindo em você
Não há nada neste mundo que eu não faria


E se eu estiver longe de casa?
Oh irmão vou ouvir você chamar
E se eu perder tudo?
Oh irmã eu vou ajudá-la!
Ah, se o céu vier caindo em você
Não há nada neste mundo que eu não faria


Ei irmão, há uma estrada infinita para redescobrir
Ei irmã, você ainda acredita no amor? Eu me pergunto
Ah, se o céu vier caindo em você
Não há nada neste mundo que eu não faria


E se eu estiver longe de casa?
Oh irmão vou ouvir você chamar
E se eu perder tudo?
Oh irmã eu vou ajudá-la!
Ah, se o céu vier caindo em você
Não há nada neste mundo que eu não faria


2014 é nosso.

Um ano excelente a vocês. 


Luís Fellipe Alves

5 comentários:

  1. Este post é um convite a uma revolução!
    Para além das fronteiras precisamos ser irmãos para continuar a viver neste planetinha nosso.
    Bom ano, bons estudos, boas férias, boas descobertas ( para os chocolates! ).
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Pareceu um menino serelepe falando (escrevendo) hahahaha

    adorei, bro!

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Sim! Somos revoluções, ebulições de mudanças exigidas, necessárias, supérfluas...
    Somos e temos que ser

    Essa frase nessa imagem
    Mexeu comigo
    E penso que cada um que se mexe, mexe com o mundo
    Como a música que mexeu com vc
    E na mesma vibe mexeu comigo
    Já trazida com tradução

    É Irmão!
    Não sei o que é acaso ou não
    E sem invasão creio que vibes, sintonias, simpatias
    São quase amor
    Que somos estradas infinitas e produtivas
    Que precisamos de semeadura, luz, passos, laços
    Que o céu paira e por vezes cai sobre nós
    Mas caminhar, navegar, voar é preciso

    Que suco de maracujá acalma
    Que chocolate engorda e alegra
    Que bolinho de chuva, churros, cocada, goiabada
    São mais que alimentos, são poesia
    Que estudar, trabalhar, batalhar, amar
    Não só rimam mais são parceiros de transformar

    Que façamos um bom novo ano
    Que hajam revoluções dentro e fora de nós
    Que venha 2014!

    ResponderExcluir
  4. A música é linda, não importa a língua. Há coisa boa escrita em tantas línguas! É o que importa. Feliz 2014 para você, com boas provas. E tempo? Fazemos tanta coisa sem ter tempo, não é verdade? Abração! :)

    ResponderExcluir
  5. Depois de algum tempo sem aparecer por aqui, estou passando apenas para te deixar um abraço, e dizer que gostei muito da imagem. Ah, e essa coisa de patriotismo musical é uma bobagem, pois há tanta música boa sendo produzida pelo mundo, que só gente com ideias muito limitadas prefere não saber! Um abraço, Luís, e um bom começo de ano para ti!

    ResponderExcluir


Obrigado!




Ir para o Topo