quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Lagosta, ela gosta









E eles nem ligam mais se é ano de eleição!
Dona Roseane foi logo tratando de requintar o banquete da casa, apostou nas lagostinhas e nos camarões. Enquanto isso, lá fora, a história é outra. Ninguém está muito preocupado com comida, mas a violência fez até a ONU interferir. Que vergonha!
Não é nada além do costumeiro. Brasil sempre surpreendendo com notícias absurdas, contrastes de cair o queixo. Infelizmente, somos uma nação cicatrizada, o choque já não nos afeta tanto depois de um tempo vivendo assim. Mas deveria. Talvez, com a lembrança da dor, faríamos escolhas eleitorais mais prudentes.
Mas...
Escolha eleitoral prudente é uma coisa difícil de cobrar. Tem lugar que a corrupção monopoliza, não há um sinal de candidato limpo, a seleção tende ao menos piorzinho. Só que o menos piorzinho pode virar o mais piorzão em menos de quatro anos, bater o recorde da corrupção, ultrapassar o primeiro colocado fácil, fácil. Não é lá uma coisa impossível de acontecer, se já não existe algum exemplo que ilustre o citado.
O problema não se resume às prisões por lá. É muito mais amplo e complexo, irradiou pelo espaço que pôde, afetou a vida de pessoas fora dali. Mães e familiares que perderam seus filhos, uma criança de seis anos vitimada por um ataque cruel a ônibus. Vai muito além do que se pode pensar, porque alguém deixou a rédea escapar às mãos.
Não só a situação carcerária do Maranhão, mas o país todo é uma completa vergonha. Há sempre um lado ruim por trás das coisas boas que ainda restam. Nem mesmo as belas paisagens estão livres de problemas. Quer admirar o Cerrado? Lembre que ele está deixando de existir!
E por quê?
Porque eles fazem pouca questão disso tudo. O relevante por aqui é o dinheiro, o luxo e a lagosta na hora do banquete. 
Luís Fellipe Alves

6 comentários:

  1. 50 anos de família Sarney no poder com apenas 2 anos de interrupção. Maior número de analfabetos em todo o país. E eles ainda se julgam santos, em tela e pintura
    Depois daquele rio de sangue correndo pelos corredores do presídio, lagosta?

    Deixo um link ( o nome do blog é engraçado ) onde é possível ver ou rever as pinturas dos santinhos...

    http://supersogra.blogspot.com.br/2013/07/o-santuario-da-familia-sarney.html

    ResponderExcluir
  2. Oi, Fellipe, acho que estou rindo de nervosa... Eu ouvi a notícia das lagostas e outras coisitas excêntricas, de madrugada. Caiu meu queixo. Li sobre tudo que você cita. Como pode? Chega a ser bizarro.
    Sabe... minha consciência me cobra. Portanto, não penso, não escolho: enquanto eles ficam fazendo que trabalham, eu fico fazendo que voto. Tenho o direito de exercer minha democracia.
    Beijos, Fellipe!

    ResponderExcluir
  3. Olá Luís
    O que acontece no Maranhão é um absurdo e mostra como é nociva para um estado/município essa perpetuação das mesmas pessoas no poder. é preciso renovação, essas pessoas mostraram que não ligam mais para a boa administração do estado (se é que ligaram um dia). E o resultado é esse que estamos vendo com a explosão da violência por lá.
    Abrss
    Blog Fernu Fala II
    Siga no Twitter

    ResponderExcluir
  4. Não dá vontade de mudar de país só para esquecermos um pouco as nossas mazelas crônicas? Gostei do seu texto. Um abraço! :)

    ResponderExcluir
  5. Oh, Deus, não permita nunca chegar o dia que eu deixe de ficar indignada!! Por favor, Senhor, não me cicatrize, quero permanecer ferida aberta que sangra e dói a cada notícia vergonhosa, a cada falcatrua, a cada safadeza nojenta, a todas impunidades... E se não for pedir demais, proteja meu costumeiro voto nulo. Amém.

    ResponderExcluir


Obrigado!




Ir para o Topo