segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Segunda aprovação

Fonte
 
Quando visitei o campus da USP em Ribeirão Preto pela primeira vez, não conseguia imaginar a felicidade em ser aprovado em um dos vestibulares mais disputados do país. Na sexta passada, tive essa sensação. Depois de um árduo trabalho no último ano, depois de um grande empenho, consegui uma aprovação que levarei comigo como uma das grandes realizações em minha vida. 
 Escolhi a USP para apostar numa opção de curso em minha cidade, caso não conseguisse a aprovação em Engenharia, em outras seleções. Embora eu tenha disputado uma segunda opção de curso (Administração) e também não vá realizar a matrícula, guardarei comigo esse momento único, que me trouxe a mente aquele velho e sempre válido verso de Renato Russo: "Quem acredita sempre alcança". 
Não foi fácil e se eu disser o contrário, estarei mentindo. Foram inúmeras manhãs dividindo o trabalho e os estudos, procurando por espaços de tempo em que poderia resolver um problema sem ter que resolver problemas do trabalho. Foram inúmeras dores de cabeça, foram incontáveis bocejos durante o dia todo e principalmente durante a aula, à noite. Foram dois anos de, praticamente, seis horas de sono por noite. Tomava chuva para chegar ao cursinho, ia à aula em dias de feriados facultativos. Certa vez até fui abordado por uma Uspeana que disse: "Passei na USP sem precisar ir na aula em dia de feriado, moço. Vai pra casa!". Mas não fui. Permaneci e não me recordo, ao certo, se a aula daquele dia contribuiu para as provas. Mas tudo o que sei é que, de alguma maneira, tudo isso engrandeceu minha experiência e agora minha conquista.
Para aqueles que continuam tentando, eu digo, não desistam de seus sonhos. No início de 2013, depois de não ser aprovado em NADA, queria desistir. No fundo, sabia que podia ir além. Mas não queria mais. Via meu sonho muito distante, pintado de cinza. E se não fosse pelos meus pais, eu teria desistido. Já optava por um outro caminho, iria pagar pelos estudos, mas eles não queriam. Não apoiaram, me propuseram mais um ano de tentativas. Não recebi bem a proposta, não queria passar por tudo novamente. Não, não e não! Mas no fundo, permanecia em mim alguma coisa mal-acabada. Não terminava ali. E graças a eles, consegui me reerguer para tentar novamente.
Deixar de tentar, porém, não é sempre uma desistência. Às vezes, somos realmente direcionados a outro caminho e é hora de mudar. Mas se permanecer em você um sentimento de não-término, uma sensação de que não é hora deixar de tentar, não desista. Se empenhe, faça mais, procure mais formas de alcançar o êxito. Foi o que fiz, depois de sair da amargura de não ter conseguido qualquer aprovação. E no final, depois de um ano todo, consegui. E posso dizer que venci. Não somente porque alcancei as aprovações. Mas porque, independentemente de ser aprovado ou não, não deixei de tentar enquanto algo me dizia que eu não deveria desistir. 
 Ir a luta. Sempre. E a recompensa é, no mínimo, a consciência de uma bela tentativa. 
Luís Fellipe Alves 

6 comentários:

  1. "Tudo wue um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado"
    Feliz por vc :)
    Siga sonhando e realizando
    Torcendo daqui \o/

    ResponderExcluir
  2. Fellipe, muitas vezes, na perspectiva de nos sentirmos derrotados, de desistir, de não acreditar, é que tomamos conhecimento das nossas forças. Da nossa obsessão em fazer, em correr atrás. E esse é o diferencial dos que vencem. Você demonstrou ser um vencedor. E essa sua busca, a insistência, foi seu primeiro grande passo. Agora, outros virão e você já se conhece...
    AVANTE, AMIGO!

    Beijos e fé. Fé em você, que através de sua vontade conseguirá ser brilhante no que fizer.

    ResponderExcluir
  3. Você não voltou para casa num dia de chuva...
    E você volta transformado com tamanho aprendizado para muito além das aprovações. A tua história é contagiante! Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Se é uma coisa que não podemos nunca desistir são dos nossos sonhos.
    Vence quem segue em frente =)

    ResponderExcluir
  5. facil falar quando já esta dentro... queria ver se nao tivesse passado

    ResponderExcluir


Obrigado!




Ir para o Topo