quarta-feira, 5 de março de 2014

Vinte anos e uma viagem alada




Quem nunca foi atingido pela teoria de que o tempo voa depois dos 18, que atire a primeira pedra!
Embora as asas sejam muito velozes, são nossas melhores opções.
Antes de alcançar a maioridade, não dava muita atenção pra quem insistisse em dizer que a vida a partir dali voaria. Tinha uma vontade imensa de fazer aquele aniversário, que me traria as responsabilidades da vida adulta e uma liberdade diferente... (Até parece!). Dois anos se passaram e eu comprovei que a teoria é muito válida...
Basicamente, temos duas opções de caminho nesse contexto. Ou optamos pelas asas ou pelo teletransporte. Com as asas, por mais rápidas que sejam, podemos sentir a brisa, ver a paisagem, conhecer outros viajantes, fazer paradas, tirar fotografias, viver intensamente, recordar, comer amora do pé.
Teletransportar-se é sumir, desaparecer e surgir em outro ponto. Sem risadas verdadeiras, sem memórias que valham a pena, sem pés de amora e cajá-manga. É um processo de flores mortas, artificialidades, futilidades, tristezas. Pode ser escolhido ou imposto. De qualquer forma, é um caminho lamentável. Dificilmente termina sem arrependimentos.
Certa vez, escutei a história de uma mulher. Por infelicidades no caminho, ela havia abandonado as asas e foi imposta a seguir pela desmaterialização. E por muito tempo “vivia” assim. Não conseguia distinguir os anos de sua vida, porque eram todos iguais. As mesmas frustrações, os mesmos medos, a mesma rotina. Não sabia o que tinha vivido. Não estava vivendo! Sobrevivia.
Felizmente, é possível revogar a escolha errada ou a imposição dolorosa. É dificultoso, mas dá pra embarcar na viagem alada em outro momento que não a estreia da maioridade e, então, tomar as rédeas do caminho. É preciso cuidado para sempre estar ministrando o destino e não o cronômetro!
Durante a infância, somos preparados para o voo. Vivemos uma fase proveitosa, doce, com distribuição gratuita de imaginação e jujuba. Queremos experimentar, fazer interpretações, entender o mundo. Somos recheados de perguntas (e pra algumas delas o ser humano ainda não chegou a respostas...), temos sonhos, como querer um mundo perfeito. É um verdadeiro aquecimento que nos embasará a optar pela melhor viagem ou ter forças para não sermos lançados à desmaterialização.
Na minha infância, passava parte do meu dia com meus avós paternos. Recordo minhas tentativas de interpretar os ditados populares ditos por eles na forma literal. Testei se água mole corrente furaria uma pedra dura... E é claro que não obtive sucesso, levaria um tanto bom de anos!... Temia chegar a uma fase da vida em que eu deveria escolher entre o correr e o bicho pegar e ficar e o bicho comer. A minha ideia brilhante foi nunca ir a lugares com animais selvagens... Depois de um tempo, aprendi que os ditados davam boas lições sobre o voo que vinha pela frente.
Minha crônica não é autoajuda profissional, com intuito de mover corações e mentes em grande escala. Minha intenção é apresentar como percebi esse momento da vida, que é altamente corrido. Não é o tempo que está mais veloz, somos nós que estamos em outra fase de nossas vidas. Podemos abandonar as asas, ir para o teletransporte, voltar para as asas, abandoná-las de novo. E quanto mais optarmos pelo teletransporte na nossa jornada, maior será a impressão de que o tempo está dando grandes saltos. Não recordaremos, estaremos sobrevivendo.
Eu aprendi, olhando lá fora, que a melhor opção é voar. E é assim que quero o final da minha vida: um pouso tranquilo, na terra das minhas memórias.

Luís Fellipe Alves (completando, hoje, 20 anos.)

13 comentários:

  1. Lindo post!
    Voadoras e enraizadas reflexões e ponderações.

    Asas para vc amigo!
    Nos pés, na imaginação, nas ações. Além de habilidade nos pousos, raízes tb e frutos, flores, passarinhos, casulos, borboletas, chocolates, bolinhos de chuva, sol, céu, mar, suco de maracujá, amor de tds os tipos, maturidade, criancices, liberdade, jabuticabas, crônicas, poemas, prozas, apegos, fortalezas e castelos de areia.

    ResponderExcluir
  2. Que legal,Luis ! Parabéns, tudo de bom e que sejas muiiiiiito feliz, sem te importar que os anos passem ou não..O tempo é assim, voa e voooooooooa cada vez mais! Imagina pra mim quejpa com 6.5... abraços,chica

    ResponderExcluir
  3. Que lindo poder refletir assim sobre a vida, viver é magia, tem de ser com muito boa vontade, sem medos, meus parabéns, estás ainda a começar, viva a sonhar sonhos palpáveis para os realizar!
    Feliz aniversário!

    ResponderExcluir
  4. Sua intenção, tenha certeza foi além, muito além da sua percepção.
    Emocionou sim, reforçou ainda mais a vontade de usar asas ao invés do teletransportes. Aproveitar a brisa, sua companhia atrave's das palavras.
    Feliz aniversário! Muitas amoras no teu caminho, preferencialmente com os pés descalços só para ficarem roxinhos!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Oi Luís..olha que belo post, mas também merecido pois hoje é seu dia!!!! Parabéns...tudo de bom a você,que realize muitos sonhos,saúde e sucesso sempre,toda benção de Deus na sua vida :)

    Um Grande Abraço e Feliz Aniversário *-*

    ResponderExcluir
  6. Parabéns atrasado, mais com carinho.
    A vida anda corrida mesmo, qto mais envelhecemos percebemos isso, mais na verdade o tempo é o mesmo, nós que achamos que está ficando tarde para realizarmos nossos sonhos e projetos.
    E queremos mais tempo para viver....
    Portanto vamos aproveitar nosso tempo com coisas de qualidade.

    tenha um ótimo dia =)

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre chego depois da festa, mas chego! E chego para lhe desejar um brilhante futuro, com voos grandes e belos. E seguros!
    Lindo seu texto, menino de ouro! Concordo com tudo.
    Parabéns e felicidades sempre.
    Beijos! Sucesso!

    ResponderExcluir
  8. Ôooo... Que lindo o seu texto! Parabéns, muitas felicidades! Que a vida seja alada, no tempo da sabedoria! :) Parabéns, parabéns, parabéns e obrigada pelo texto caprichado!

    ResponderExcluir
  9. Uma crónica bem escrita e de alguém que sabe pensar.

    Vais sorrir quando a leres...aos 40.

    É tudo isso e muito mais e nem sempre para melhor.

    Voemos, pois então.

    Parabéns!

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Feliz Aniversário com alguns dias de atraso.

    Também não acreditava tando nas pessoas que diziam que a vida voaria depois de certa idade. Elas têm razão mesmo. Já estou 10 anos depois dos 18. E o tempo voou. Eu voei com ele.
    Gostei de seu texto.

    Abraço.

    Ana Virgínia
    filhadejose.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Uau!! Que texto ótimo de ler... e parabéns pelo aniversário! Chegastes a uma boa conclusão, melhor voar. Nunca tinha pensado na vida por esse ângulo, bem interessante. Bom, que dizer de mim que já estou com 29 e sofrendo uma "crise dos 30". Um abraço!!

    ResponderExcluir
  12. Perdi a festa de aniversário? O texto é ótimo e você vai poder usá-lo todos os anos porque a vida é sempre assim, passa muito rápido. Mas no meio do caminho perdemos o "desconfiômetro" e nunca envelhecemos porque velho é quem tem 10 anos (no mínimo) a mais do que a gente.

    ResponderExcluir
  13. Olá Luís tudo bem
    Como faz falta a infância depois que a gente cresce, A vida voa mesmo, caminho sem volta não é. Por isso precisamos aproveitar cada momento da vida.
    Grande abraço
    Blog Fernu Fala II

    ResponderExcluir


Obrigado!




Ir para o Topo